HORIZONTE B: IMPORTÂNCIAS PEDOLÓGICAS E DE MANEJO

Pedologicamente o horizonte B representa a máxima expressão na sua morfologia (cor, textura, estrutura, consistência e cerosidade, se existir).

Os horizontes transicionais AB (antigo A3), BA (antigo B1) e BC (antigo B3) não tem toda a importância pedológica do horizonte B porque não possuem a referida máxima expressão morfológica.
Nos Latossolos típicos, a amostragem de solo na profundidade de 80-100 cm representa plenamente o horizonte B, nos demais solos esse horizonte ocorre numa profundidade variável, podendo ou não coincidir com a citada profundidade.
Os tipos de horizonte B são: latossólico (diagnóstico dos Latossolos), textural (diagnóstico dos Argissolos, Luvissolos e Chernossolos Argilúvicos), plânico (diagnóstico dos Planossolos), incipiente (diagnóstico dos Cambissolos), nítico (diagnóstico dos Nitossolos) e espódico (diagnóstico dos Espodossolos).
No Brasil o horizonte B latossólico é o mais comum.

Os solos que não apresentam horizonte B diagnóstico pertencem as classes dos Neossolos e Vertissolos.

Além da importância pedológica, o horizonte B possui grande importância para a grande maioria das plantas porque seu sistema radicular explora esse horizonte subsuperficial retirando água e nutrientes, além do superficial (horizonte A).

Quando o horizonte A é erodido, o horizonte B ocorre na superfície do solo.
LANDELL et al (1983) mostraram a importância química do horizonte B para a cana-de-açúcar (figura 1).

Figura 1. Condições químicas do horizonte B latossólico e produtividades da cana-de-açúcar.

Figura 1. Condições químicas do horizonte B latossólico e produtividades da cana-de-açúcar.

Observa-se na figura acima que somente no terceiro corte da cana-de-açúcar, as condições químicas mais favoráveis determinaram as maiores produtividades, nos dois primeiros cortes as raízes não atingiram plenamente o horizonte B, dependendo muito mais das condições químicas do horizonte A.

Outro dado importante refere-se a produtividade do solo mesotrófico superar a do distrófico provando que para manejo, deve-se subdividir a condição distrófica da literatura pedológica porque esta inclui solos com enormes variações de saturação por bases (tendendo para eutrófico), e saturação por alumínio (tendendo para álico), conseqüentemente os valores de cálcio e alumínio são muito amplos nos solos tradicionalmente distrófcos no Sistema de Classificação atual.

Em termos de disponibilidade de água, o horizonte B dos Argissolos possui muito maior volume de microporos do que o horizonte A. A quebra de capilaridade entre ambos o os horizontes, condiciona mais tempo de permanência da água nesses solos em comparação com os Latossolos que, ao contrário, possuem semelhantes ao teor de argila e volume de microporos (exceto se compactados), não existindo referida quebra de capilaridade.
A importância da profundidade do horizonte B como reservatório de água depende das culturas, suas raízes exploram diferentes volumes de solo.

Para o eucalipto e citrus, o horizonte B como fornecedor de água pode ocorrer numa maior profundidade do que as plantas anuais.

A figura 2 mostra o superior desenvolvimento vegetativo da cana-de-açúcar no Argissolo Amarelo (PA) em relação ao Neossolo Quartzarênico (RQ), ambos ocorrendo no mesmo lote.

Figura 2. Cana-de-açúcar cultivada no mesmo lote onde ocorrem Argissolo Amarelo (PA) e Neossolo Quartzarênico (RQ).

Figura 2. Cana-de-açúcar cultivada no mesmo lote onde ocorrem Argissolo Amarelo (PA) e Neossolo Quartzarênico (RQ).

A figura 3 detalha o maior vigor da planta no PA em comparação ao RQ, figura 4.

Figura 3. Argissolo Amarelo (PA) com vigoroso desenvolvimento vegetativo da cana-de-açúcar, entrelinha.

Figura 3. Argissolo Amarelo (PA) com vigoroso desenvolvimento vegetativo da cana-de-açúcar, entrelinha.

Figura 4. Neossolo Quartzarêncio (RQ) com pequeno desenvolvimento vegetativo da cana-de-açúcar, entrelinha.

Figura 4. Neossolo Quartzarêncio (RQ) com pequeno desenvolvimento vegetativo da cana-de-açúcar, entrelinha.

Resposta correta: Alternativa 5

Alternativa % de votos
1) O horizonte B sempre ocorre abaixo do horizonte A. 12,1
2) No Brasil predominam Argissolos. 15,0
3) Os Argissolos possuem maior quantidade de macroporos no horizonte B em relação ao horizonte A. 15,9
4) Os Latossolos possuem gradiente textural elevado entre os horizontes A e B. 10,3
5) A deficiência hídrica anual é menor no Argissolo com horizonte B próximo de 50 cm de profundidade em comparação com o Neossolo Quartzarênico. 14,0
6) Todas afirmações são incorretas. 32,7
Total de votos 107

Enquetes anteriores

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 

21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 

41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 

61 62 63 64 65 

Apoio:

IPNIJornal da Cana The International Union of Soil Sciences Natural Resources Management and Environment Departament ISRIC - World Soil Information