Enquete 48 - Amostragem de solo com enfoque pedológico e de fertilidade

A amostragem de solo para fins pedológicos objetiva classificar o solo na paisagem, ao contrário da amostragem para fins de fertilidade que visa a calagem, gessagem e adubação.

Nos locais com relevo suficientemente declivoso para identificar as posições de topo, terço superior, meia encosta, terço inferior e baixada (figura 1), examinar o solo em cada uma delas

Figura 1. Locais da paisagem onde geralmente variam os solos.

Em geral, nas posições de topos ocorrem Latossolos e Neossolos Quartzarênicos, na encosta são observados Nitossolos, ou Argissolos, ou Cambissolos ou Neossolos Litólicos. Para mais detalhes ver o solo-paisagem.

Na amostragem pedológica nunca se deve misturar as amostras de solo, e sim coletar nos horizontes superficial e subsuperficial, colocando-as nos recipientes, separadamente, com anotação do ponto, nome da propriedade, respectivas profundidades de amostragem e demais informações.

Se não há erosão o horizonte superficial (A) ocorre na superfície e o horizonte B ou C abaixo dela. Considerar que o horizonte B, ocorre na profundidade de 80-100 cm nos Latossolos e Nitossolos típicos, mas varia nos demais solos.

As figuras 2 a 5 exemplificam para as classes dos Argissolos e Cambissolos casos com grandes variações na profundidade do horizonte B.

Figura 2. Argissolo com horizonte B iniciando na profundidade de 90 cm

Figura 3. Argissolo com horizonte B iniciando na profundidade de 53 cm

Figura 4. Cambissolo com horizonte B iniciando na profundidade de 25 cm

Figura 5. Cambissolo com horizonte B iniciando na profundidade de 15 cm.

Na mesma tradagem é comum amostrar o contato dos horizontes mais arenosos e mais argilosos do Argissolo, ou Luvissolo (figura 6), nesse caso separar as amostras em recipientes distintos.

Figura 6. Amostragem de solo mediante tradagem.

Note a cor mais escura no horizonte A, mais clara no horizonte E e vermelho amarelada no horizonte Bt.

A condição ideal é que a amostragem pedológica gere um mapa e esses dados sirvam de base para a amostragem com a finalidade de fertilidade do solo, entretanto, nem todas as propriedades possuem levantamento pedológico.

A figura 7 mostra os solos normalmente encontrados ao longo da encosta na região Centro-Sul do Brasil.

Figura 7. Os solos nas paisagens da região Centro-Sul.

Na falta de levantamento de solos, o único recurso é dividir a área total em glebas homogêneas principalmente quanto às diferenças de cor, textura, e profundidade do perfil, em cada gleba fazendo um percurso em zigue-zague (figura 8), retirando as amostras simples ou sub amostras para depois misturá-las e enviar para o laboratório amostra composta.

Figura 8. Glebas divididas para amostragem para estudo de fertilidade dos solos (Fonte: CATI).

O procedimento de campo desde o início até a retirada da amostra de solo consta na figura 9.

Figura 9. Procedimento de campo para amostragem de solo para estudos da fertilidade do solo (Fonte: CATI).

Os resultados das análises químicas pedológicas são apresentados em peso, em volume nas de fertilidade, os valores se equivalem se a densidade do solo é igual a unidade.

A quantidade de pontos de observações para a elaboração do mapa pedológico deve ser compatível com o nível de semi detalhe, ou mais detalhado; e da amostragem para fins de fertilidade considerando a retirada de 15 a 20 subamostras conforme a figura 10.

Figura 10. Relação entre pontos de amostragem e erros permitidos.

Note que o número de subamostras em relação ao erro tem como resultado uma exponencial, mostrando que abaixo de 15 pontos de amostragem o erro tende aumentar muito, acima de 20 não tem muita diferença.

A programação de amostragem de solo de uma propriedade vai ser feita e necessariamente deve ser seguir as técnicas recomendadas.

Resposta correta: Alternativa 3

Alternativa % de votos
1) Realizar primeiramente a amostragem para fins de fertilidade misturando devidamente as sub-amostras; depois a pedológica, não misturando as amostras de solo. 14,2
2) Realizar primeiramente a amostragem pedológica misturando devidamente as amostras de solo; depois a de fertilidade; não misturando as sub-amostras de solo.. 29,5
3) Realizar primeiramente a amostragem pedológica não misturando as amostras; depois a de fertilidade misturando devidamente as subamostras de solo. 17,5
4) Amostrar 40 pontos para fins de fertilidade é um procedimento com resultado prático muito significativo. 16,0
5) O número de pontos de amostragem é o mesmo em ambas as coletas de solo (pedológica e de fertilidade). 22,8
Total de votos 325

Enquetes anteriores

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 

21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 

41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 

61 62 63 64 65 

Apoio:

IPNIJornal da Cana The International Union of Soil Sciences Natural Resources Management and Environment Departament ISRIC - World Soil Information