Enquete # 32 - Variabilidade espacial de solos na paisagem

Ainda hoje parte dos engenheiros agrônomos, engenheiros florestais, engenheiros agrícolas e técnicos agrícolas fazem o mesmo tipo de manejo para diferentes solos , utilizando o mesmo tipo de terraço, o mesmo tipo de preparo, as mesmas doses de calcário e gesso, idêntica fórmula de adubação, a mesma lâmina de água na irrigação, o que não é correto porque são diferentes os ambientes de produção vegetal.

Isso ocorre porque esses profissionais desconsideram a variabilidade de solos na paisagem, que depende muito da diversidade dos seus fatores de formação (material de origem, relevo, vegetação natural, clima e tempo de intemperização).

Cada macroregião apresenta uma seqüência típica dos solos, dos locais de maior para menor altitude, e esse conhecimento é importante para saber se os solos com maior potencial situam-se nas partes mais altas ou mais baixas do relevo.

A figura 1 mostra as diferentes posições no relevo.

Figura 1. Posições no relevo.

Figura 1. Posições no relevo.

Não existe uma regra geral garantindo que os solos mais próximos dos rios ou riachos apresentam melhor potencial do que os solos de locais de maior altitude e para confirmar isso observe as possibilidades de “solo x paisagem”, na página inicial do site pedologiafacil .

A figura 2 mostra o contato do Latossolo no topo, com o Argissolo na posição de terço inferior.

Figura 2. Solos na paisagem da região de Teodoro Sampaio (SP).

Figura 2. Solos na paisagem da região de Teodoro Sampaio (SP).

No primeiro plano da figura 3, o Gleissolo ocorre na região com relevo mais deprimido (baixada), limitando-se com o Latossolo no relevo suavemente ondulado, e ao fundo no relevo montanhoso ocorre o Neossolo Litólico.

Figura 3. Solos na paisagem da usina Jalles Machado de Goianésia (GO).

Figura 3. Solos na paisagem da usina Jalles Machado de Goianésia (GO).

Na figura 4, o Plintossolo ocorre nos locais mais declivosos (terço inferior), ao contrário do Latossolo que ocorre no topo das encostas.

Figura 4. Solos nas paisagens de Piracicaba (SP).

Figura 4. Solos nas paisagens de Piracicaba (SP).

Finalmente, a figura 5 ilustra uma paisagem com relevo declivoso (terço inferior), onde ocorre o Nitossolo e no topo da mesma encosta ocorre o Latossolo .

Figura 5. Solos derivados de basalto nas paisagens de Jaú (SP).

Figura 5. Solos derivados de basalto nas paisagens de Jaú (SP).

Conclui-se que no levantamento de solos das regiões com maior variação pedológica, é necessário coletar amostras numa menor distância do que nas regiões mais homogêneas.

Perguntas

Considerando as informações acima, e ainda, todas as seqüencia de solos nas paisagens do Brasil ilustradas no item "solo x paisagem" deste site, responda a única alternativa correta.

Resultado da enquete

Alternativa correta: C

Alternativa % de votos
a) Os solos com melhor potencial sempre ocorrem na posição de terço inferior. 0,0%
b) os solos com melhor potencial sempre ocorrem na posição de topo. 6,3%
c) Os solos com melhor potencial podem ocorrer no topo ou nas posições mais baixas do relevo, depende dos fatores de formação dos solos. 75,0%
d) Solos derivados da mesma rocha ocupam a mesma posição no relevo. 6,3%
e) Solos derivados da mesma rocha nunca ocorrem no terço inferior, e ao mesmo tempo, no topo da encosta. 12,4%
Total de votos: 16

Enquetes anteriores

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 

21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 

41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 

61 62 63 64 65 

Apoio:

IPNIJornal da Cana The International Union of Soil Sciences Natural Resources Management and Environment Departament ISRIC - World Soil Information