Enquete #71. Gênese, classificação e aspectos de manejo de Latossolos e Neossolos

Gênese e classificação

Enquanto os Latossolos são os solos mais velhos (apresentam a sequência de horizontes A-B), os Neossolos são os mais jovens (apresentam a sequência de horizontes A-C).

Latossolos

Os Latossolos são muito profundos, apresentam mineralogia da argila do tipo 1:1 (caulinita) e/ou oxídica representado pelos óxidos de ferro - hematita e goethita, e óxidos de alumínio – gibbsita, ou somente oxídica sem coexistência com a caulinita.

Se o Latossolo for ácrico, a mineralogia é essencialmente oxídica, por isso já atingiram o final do intemperismo. Em termos de idade, esse é o mais velho do mundo podendo até apresentar balanço positivo de cargas elétricas.

A figura 1 destaca as alterações mineralógicas ao longo do tempo, a figura 2 o balanço de cargas elétricas no solo, que exemplifica que o pH em água igual a 5,6 é coincidente com o PCZ existindo igualdade na quantidade das cargas elétricas negativas e positivas nos colóides.

Exatamente no pH em água igual a 5,6 as cargas elétricas de sinal contrário (negativas e positivas) apresentam a máxima atração entre si, por isso floculam e descem para o fundo do recipiente.

Acima do PCZ, predominam cargas elétricas negativas, essas cargas elétricas negativas das argilas têm forte da repulsão, por isso a solução permanece turva em suspenção.

A turbidez também ocorre abaixo do PCZ, em função da forte repulsão das cargas elétricas positivas, assim também dispersam as argilas.

Figura 1. Alterações mineralógicas ao longo do tempo.
Figura 1. Alterações mineralógicas ao longo do tempo.
Figura 2. Balanço de cargas elétricas no solo.
Figura 2. Balanço de cargas elétricas no solo.

Neossolos

Apresentam a sequência de horizontes A-C, podendo ser:

  • Muito profundos (Neossolos Quartzarênicos e Neossolos Flúvicos);
  • Rasos (Neossolos Regolíticos); e
  • Muito rasos (Neossolos Litólicos).

Para o Neossolo Quartzarênico, é muito difícil explicar ser “solo novo”, pois é muito profundo!

Resta a explicação mineralógica: a quantidade elevada de areia (quartzo) não permite a neoformação de argila no processo de intemperismo, assim o teor de argila mais silte ao longo do tempo não ultrapassa 15%, critério artificial do Sistema de Classificação.

A gênese dos Neossolos Flúvicos está relacionada com depósitos sazonais de sedimentos trazidos pelas enchentes de rios e riachos, as camadas depositadas não têm relação pedogenética entre si, por isso Neossolos!

Cada enchente deposita no perfil de solo matéria orgânica (colorindo a camada de cor escura), ou areia (colorindo a camada de cor branca), argila (colorindo a camada de cor vermelho amarelada ou amarelada).

Ao contrário dos Neossolos Quartzarênicos, os Neossolos Litólicos e Regolíticos possuem profundidades muito pequenas ou pequenas, respectivamente, pois não tiveram tempo suficiente para se desenvolver.

Granulométricamente, os Latossolos apresentam textura média, argilosa e muito argilosa, os Neossolos Quartzarênicos abaixo de 15%, figura 3.

Figura 3. Textura do solo.
Figura 3. Textura do solo.

O quadro 1 mostra a simbologia dos solos na legenda Ambicana do IAC, e os respectivos valores de argila.

Quadro 1. Simbologia dos solos na legenda Ambicana do IAC, e os respectivos valores de argila.
Simbologia dos solos Classificação dos solos Teores de argila (%)
L-1 Latossolo textura média 16-25
L-2 Latossolo textura média 26-35
L-3 Latossolo textura argilosa 36-60
L-4 Latossolo textura muito argilosa > 60
RQ * Neossolo Quartzarênico <15
* Pedologicamente, deve-se adotar teor de argila mais silte menor ou igual a 15%, mas na prática considerar argila de até 15%.

Fator água e aspectos de manejo

Existem dois enfoques para a água utilizada pelas plantas, o primeiro aspecto refere-se sua interferência na velocidade de brotação das plantas; o segundo aspecto na capacidade de água disponível (CAD).

Velocidade de brotação

Para a mesma lâmina de irrigação, os solos com menor teor de argila são os que mais facilitam a emergência da brotação da cana-de-açúcar, por isso brotam bem mais rápido do que os solos argilosos e muito argilosos nas mesmas condições de manejo, isso ocorre em função da maior superfície de contato do solo com o tolete.

A figura 4 mostra a pior brotação da cana-de-açúcar no solo de textura argilosa (L-3), em relação ao solo de textura média (L-1), após a aplicação do mesmo volume de água (15mm) e do mesmo manejo nutricional.

Figura 4. Brotações da cana-de-açúcar no Latossolo argiloso (L-3, lado esquerdo) e no solo de textura média (L-1, lado direito).
Figura 4. Brotações da cana-de-açúcar no Latossolo argiloso (L-3, lado esquerdo) e no solo de textura média (L-1, lado direito).

Na região climática do Centro-Sul do Brasil, a emergência das plantas é mais segura nos solos L-3, L-4 nos meses de janeiro, fevereiro e março, isso ocorre por dois motivos:

  • Ausência de torrões temporariamente coesos; e
  • Menor risco de erosão quando comparados com os solos L-1, L-2.

Por outro lado, em abril e maio é mais difícil falhar a brotação das plantas nos solos L-2, L-1 e RQ (junho e julho, e agosto, caso chover), motivo pelo qual o contato solo-tolete é maior, pelo pequeno grau de umidade associado a precipitações menores, que auxiliam a brotação.

Nesse período de baixa precipitação é importante fazer um excelente recobrimento do tolete para evitar o ressecamento.

Por outro lado, há grandes chances de ocorrer falhas nas brotações de abril a agosto nos solos L-3 e L-4, em função das explicações contrarias acima citadas.

Capacidade de água disponível no solo

As classes de disponibilidade hídrica no solo contam no quadro 2.

Quadro 2. Classes de disponibilidade hídrica nos solos.
Textura Classe de disponibilidade de água nos solos (mm) Interpretações
Argilosa ou muito argilosa 1,51-2,00 Muito alta
Argilosa ou muito argilosa 1,10-1,50 Alta
Argilosa ou muito argilosa ou média tendendo a argilosa 0,76-1,00 Média
argilosa ou muito argilosa ou média 0,51-0,75 Baixa
Argilosa ou muito argilosa ou média tendendo a arenosa ou arenosa 0,26-0,50 Muito Baixa
Arenosa < 0,25 Extremamente baixa

Pergunta da enquete

Considerando o plantio da cana-de-açúcar nos solos simbolizados de L-1, L-2, L-3, L-4 e RQ, o clima da região Centro-Sul (Tocantins, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Minas Gerais, São Paulo e Paraná), escolher a única alternativa correta.

Assinale a alternativa correta.

Nitossolos:

Alternativa % de votos
1-Plantar nos solos seguindo essa ordem: L-1, L-2, L-3, L-4, RQ. 21.0 Votar
2-Plantar nos solos seguindo essa ordem: RQ, L-3, L-2, L-1, L-4. 17.2 Votar
3-Plantar nos solos seguindo essa ordem: RQ, L-1, L-2, L-3, L-4. 21.9 Votar
4-Plantar nos solos seguindo essa ordem: L-4, RQ, L-3, L-2, L-1. 17.9 Votar
5-Plantar nos solos seguindo essa ordem: L-4, L-3, L-2, L-1, RQ. 21.9 Votar
Total de votos: 442

Enquetes anteriores

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 

21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 

41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 

61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 

Apoio:

IPNI Jornal da Cana The International Union of Soil Sciences Natural Resources Management and Environment Departament ISRIC - World Soil Information